La Lithuanienne

Depois de William Tell (1873), vamos falar sobre mais um dos quatro divertissements coreografados por August Bournonville: La Lithuanienne (1844). Com música de H. C. Lumbye, sua estreia aconteceu em Copenhague, com montagem do coreógrafo François Lefèbvre, e mais tarde foi apresentada em Estocolmo com montagem do próprio Bournonville. Essa pequenina obra ficou quietinha por muitos anos até que Harald Lander – bailarino, coreógrafo e diretor do Royal Danish Ballet – a trouxe de volta em 1949. Mais informações podem ser lidas aqui.

A coreografia tem pouco mais de dois minutos de delicadeza. Duvido vocês não quererem dançar por aí.

La Lithuanienne (1844), de August Bournonville, Bournonville Festival 2005, Marie-Pierre Greve.

Documentário: Ballet Now

Em uma manhã chuvosa, estava eu passeando pelo Globoplay antes de começar meus afazeres do dia. Então, me deparei com um documentário sobre dança, de pouco mais de uma hora, que em breve sairá da plataforma. Vou assistir.

O documentário Ballet Now (2018) acompanha Tiler Peck, primeira-bailarina do New York City Ballet, em seu trabalho como curadora da gala BalletNOW, realizada pelo The Music Center, em Los Angeles. Primeira mulher a exercer essa função, ela tem de lidar com as escolhas de repertório e artistas, produção, ensaios e, além disso, dançar.

Trailer do documentário Ballet Now (2018)

Uma série de coisas ficam evidentes ao longo do filme. Tiler tem uma visão ampla de dança, ela pensa no público, em agradá-lo de diversas maneiras, contemplar diversos gostos e visões de dança. Ela tem um profundo respeito por profissionais de outras áreas e de outras modalidades. Além disso, vemos que ser uma bailarina clássica não é sinônimo de dançar bem todas as outras danças. Vocês sabiam disso, certo?

Cena do documentário Ballet Now (2018)

Também acompanhamos as dificuldades em aprender uma obra do zero, com pouco tempo de ensaios. As dores no corpo, os passos que não saem como deveriam, os erros no tempo da música. O trabalho árduo antes do encantamento no palco. A sensação é de que não vai dar tempo.

Na parte final, assistimos a várias passagens da apresentação. Tudo se encaixa, tudo acontece, tudo dá certo. A plateia chega a aplaudir em cena aberta. E eu novamente entendi por que gosto tanto de dança.

No Brasil, Ballet Now (2018) está disponível no Globoplay, mas em breve sairá da plataforma. Corra para assistir, vale muito a pena.

Nova newsletter e como não perder as atualizações do blog

Depois de meses sem enviar uma nova newsletter para a lista de pessoas cadastradas, finalmente eu voltei. Deveria ter voltado antes, ter escrito antes, ter compartilhado antes, mas tudo tem seu tempo.

Quem se cadastrou e ainda não leu, corra lá na sua caixa de e-mails!
Quem ainda não se cadastrou, clique em tinyletter.com/dospassosdabailarina
Quem quiser ler a newsletter antes de decidir, eu deixei essa edição pública. Para ler, clique aqui.

Não é fã de newsletter, você gosta mesmo é dos posts do blog? Então…

Se quiser receber os posts por e-mail, inscreva-se na caixinha aqui do lado direito (caso você esteja no computador) ou lá no fim da página (se você estiver no celular).
Se não quer receber nada por e-mail, mas quer saber sobre as novas publicações, siga o instagram.com/dospassosdabailarina.

Cansada de se inscrever em mil coisas, mas quer continuar lendo o blog e nunca sabe quando vir aqui?

As atualizações acontecem uma vez por semana. Vez ou outra pode atrasar, mas tenho conseguido cumprir na maior parte das vezes.

Não importa em qual meio, de alguma maneira vamos nos encontrar.