Francesca Hayward na edição especial da Vogue UK

A edição de setembro da revista Vogue UK, a mais importante do ano, teve uma coeditora especial: Meghan Markle, também conhecida como Sua Alteza Real Duquesa de Sussex. Para a capa, ela fez questão de escolher não uma, mas 15 mulheres que estão fazendo diferença no mundo. Uma delas é Francesca Hayward, primeira-bailarina do Royal Ballet.

Francesca Hayward, Vogue UK, setembro 2019. Foto: Peter Lindbergh.

Nascida em Nairóbi, no Quênia, o seu pai é inglês e a sua mãe é queniana. Aos dois anos, ela se mudou para a Inglaterra e pouco depois começou suas aulas de dança em uma escola da cidade. Ingressou no Royal Ballet School aos 11 anos, dali entrou na companhia e passou por todos os níveis da hierarquia até chegar a primeira-bailarina aos 24 anos.

Na matéria da edição especial, Francesca disse:

Eu tenho muito orgulho da cor da minha pele e que eu esteja inspirando pessoas de todas as origens. Mas eu acho que será ótimo para a próxima primeira-bailarina mestiça ou negra se ela não tiver de ser perguntada sobre isso. No ballet, não importa quem você é. Se você é boa, isso é algo raro, tão incomum, que o talento irá para onde você quiser ir.”

no vídeo de divulgação da edição, suas palavras foram:

Eu diria que minha força para mudança seria todas as crianças que escrevem para mim e me dizem que elas estão inspiradas para dançar e têm uma grande paixão por isso, e eu quero mostrar a elas que dança é para todos. Não importa quanto dinheiro você tem ou de onde você vem ou de qual raça você é.”

O tema da capa é “Forces for Change” ou “Forças para mudança”. Alguém duvida que a Francesca está fazendo justamente isso?

*

Para ler a matéria completa, em inglês, aqui.
Para assistir ao vídeo, em inglês, aqui.

Natalie Portman na Vogue América

E Black Swan continua gerando frutos: Natalie Portman é capa da revista Vogue América de janeiro de 2011. Tudo envolto no jeito-ballet-de-ser. Para nos inspirar além das aulas e do palco.

As fotos foram retiradas da Vogue Brasil.

*
A propósito, Black Swan recebeu quatro indicações ao Globo de Ouro: melhor filme drama, melhor diretor drama (Darren Aronofsky), melhor atriz drama (Natalie Portman) e melhor atriz coadjuvante (Mila Kunis).