Para começar

Para o primeiro post do ano, eu escolhi o trailer do novo espetáculo da Sylvie Guillem por vários motivos. Mas o principal é para abrir a nossa mente. Amamos o ballet clássico, as sapatilhas de ponta são nossas amigas, mas acho importantíssimo abrirmos os olhos, o corpo, o coração, a mente e a percepção para a dança de diferentes maneiras.

Além disso, ela é uma das maiores bailarinas de todos os tempos (para mim, é a melhor), e consegue transitar entre clássico, moderno e contemporâneo da maneira mais tranquila do mundo. Porque ela não dança isso ou aquilo. Ela dança. E ponto.

Trailer de Eonnagata, de Sylvie Guillem, Robert Lepage e Russell Maliphant.

Sei que não somos profissionais e podemos nos dedicar a apenas uma modalidade. Mesmo assim, acho bacana perceber que aquilo que é nosso não é único. O mundo é vasto, graças a Deus.

Quando comecei a dançar, não consegui ficar parada em uma dança. Até que me decidi apenas pelo ballet clássico e a minha alma de artista ficou um pouquinho enjaulada. Eu gosto da amplitude. Por isso, como vocês sempre viram por aqui, continuarei a ir um pouco além do clássico. A bailarina que mora em mim é mais feliz assim.

Um 2011 incrível e com muita dança a todos nós.