Cinco textos para quem quer estudar e questionar

Para compensar tanto tempo sem postagens, eu selecionei vários links que mantenho no meu arquivo. Os textos estão em inglês ou francês, mas quem não lê nesses idiomas não precisa se preocupar, basta acessar um tradutor online. Selecionei dois para facilitar: Google Tradutor e Bing Tradutor. Os textos não terão a mesma fluência, mas é uma maneira de estudar e se informar.

Vamos lá!

What Happened to Our Ballets?
Nas primeiras apresentações de O lago dos cisnes, Odile era uma feiticeira; Enrico Cechetti foi o primeiro a dançar o papel de “O pássaro azul”, em A Bela Adormecida. Várias curiosidades sobre os primórdios de alguns ballets de repertório.
Para ler o texto completo, aqui.

Defining “Ballerina”
Para divulgar esse texto, a revista Pointe escreveu no Twitter, “What makes a ballet dancer a ballerina?”, algo como “O que faz uma dançarina de ballet ser uma bailarina?”. Em suma, seria um “O que faz uma bailarina ser uma artista?”. Infelizmente, não conseguimos em português o mesmo significado da frase com tamanha sutileza, mas o texto continua sendo muito importante. Afinal, o que define uma artista na dança? O que significa ter aquele “brilho” no palco que ninguém consegue definir o que é?
Para ler o texto completo, aqui.

10 of the best dance films
Em seu site, o Royal Ballet publicou uma lista com os dez melhores filmes de dança, segundo a companhia, com direito a trechos de todos eles. É muito bacana!
Para ver a lista completa, aqui.

Beyond Perfect: A Manifesto
Sarah Kay, bailarina do Semperoper Dresden Ballett e protagonista da minissérie Flesh and Bone, escreveu esse texto sobre os problemas que ela enfrentou no ballet por ter um corpo “fora do padrão” e questiona a exigência de um “corpo perfeito”. Não nos esqueçamos, para ser “fora do padrão” no ballet basta ter seios grandes ou ser levemente curvilínea. É um texto bastante relevante sobre essa questão.
Para ler o texto completo, aqui.

Les grandes interprètes de Giselle à travers les âges
O Danses avec la plume elaborou uma lista das bailarinas que foram as grandes intérpretes do papel de Giselle. Para quem ama tanto esse repertório, é um presente. A minha Giselle preferida, a Carla Fracci, consta na lista.
Para ler o texto completo, aqui.

BÔNUS

Livros esquecidos
O Forgotten Books publica livros antigos, tanto de ficção quanto de não ficção, e é possível ler online, baixar ou comprar impresso. São quase 300 mil títulos! Eu selecionei, adivinhem?, os livros de dança.
Para acessar o link, aqui.

Há bastante informação interessante nessa lista, divirtam-se!

Um apanhado de links

Há dias não escrevo um post e estou enrolada com uma série de coisas. Inclusive, estou devendo a pesquisa sobre a opinião de vocês a respeito das escolas de dança. Ela virá em breve, prometo!, mas não posso deixar o blog sem nada novo por tantos dias.

Para não publicar um “vídeo tapa-buraco”, separei alguns posts interessantes sobre dança.

Danses avec la plume: Une histoire du (néo)classique en 10 ballets
Uma das grandes dúvidas entre estudantes de dança, nem sempre conseguimos distinguir o ballet clássico do neoclássico. Confesso, eu me perco às vezes. A única maneira de compreender as diferenças é assistindo a ballets. Nessa lista, há 10 obras neoclássicas listadas em ordem cronológica. Os títulos das obras estão no original, mas vale a pena ler o texto completo. Não sabe francês? Qualquer tradutor online dará conta do recado.
Para acessar o link, aqui.

Deu baile: Veja as fotos mais incríveis do Bolshoi no Brasil
Para quem não conseguiu assistir ao Bolshoi, para quem assistiu e quer relembrar, as belas fotos de Clarissa Lambert farão todo mundo suspirar.
Para acessar o link, aqui.

Razões para acreditar: Jovem de 20 anos com autismo severo se recupera com ajuda do balé
Aos três anos, Philip Martin-Nielson não falava, não fazia contato visual e não permitia que o tocassem. Depois de começar a fazer terapia, ginástica e esportes, ele adquiriu a habilidade de falar e pediu para dançar. Aos seis anos, ele fez sua primeira aula de ballet. Hoje, ele é bailarino do Les Ballets Trockadero de Monte Carlo. A dança tem um poder transformador muito maior do que imaginamos.
Para acessar o link, aqui.

Razões para acreditar: Escola italiana proporciona experiências sensoriais enquanto ensina crianças a pintar e dançar
Não é ballet, mas como não compartilhar este encanto: um laboratório de dança-desenho para crianças em que elas pintam enquanto estão presas a pêndulos de tecido. Assistimos ao vídeo e morremos de vontade de fazer igual!
Para acessar o link, aqui.