Aniversário do blog: sete anos

No dia primeiro de fevereiro de 2009, abri este lugar com um texto de Santo Agostinho, Eu louvo a dança. Não expliquei o que era, apenas comecei. Ao completar um ano, pensei em uma gala fictícia, em que as leitoras escolheram o quê e com quem queriam dançar.

No ano seguinte, a comemoração foi pessoal, eu e meus questionamentos se sou ou não uma bailarina. Depois, três pas de trois para comemorar três anos. Em 2013, foi a vez de questionar por que o blog existe. No aniversário de cinco anos, cinco leitoras-amigas contaram suas histórias com o Dos passos da bailarina. Por fim, no ano passado eu respondi a uma série de perguntas de vocês.

Chegamos aos sete anos. Para termos uma noção de tempo, quando o blog surgiu: alunas e alunos do baby class ainda não eram nascidos; as redes sociais não tinham tanta força e alcance; não existiam os youtubers e seus canais com milhões de assinantes; não questionavam a inexistência da diversidade nas companhias de dança; alunas adultas eram sempre vistas como bailarinas frustradas; não tínhamos acesso aos bastidores, aulas, ensaios e espetáculos das grandes companhias; era difícil conseguir informações e material de estudo sobre dança.

O tempo passou e, ainda bem!, trouxe mil possibilidades. Por essa razão, nem sempre consigo enxergar neste espaço uma função clara, a não ser compartilhar a minha visão do ballet clássico. Então, por favor, gostaria que vocês respondessem nos comentários a duas perguntas: O que vocês sentem falta de ver no blog? Na visão de vocês, o que só existe neste blog?

Muito obrigada a quem sempre acompanhou o Dos passos da bailarina, não importa o tempo. Ele só existe por causa de vocês.

Por fim, vamos comemorar dançando um pas de sept?

“Dança russa”, O lago dos cisnes, Bolshoi Ballet.

Pas de sept

Encontrar um pas de sept é como achar um trevo de quatro folhas, uma raridade. Ainda mais com três bailarinas e quatro bailarinos. Este faz parte da montagem de O lago dos cisnes da companhia Semperoper Ballett. Para mais informações, aqui.

Assisti a poucos vídeos dessa versão, porque acabei de descobri-la, mas adorei os que vi. Quem quiser assistir também, aqui.

“Pas de sept”, O lago dos cisnes, Semperoper Ballett

* * *

ATUALIZAÇÃO: Depois de assistir ao vídeo desse pas de sept, a Julimel, do Vídeos de Ballet Clássico, se encantou especialmente pela variação feminina. Ao pesquisar sobre isso, ela descobriu que essa variação faz parte de um pas de six do terceiro ato de O lago dos cisnes excluído nas remontagens posteriores. Assim, ela escreveu um longo post mostrando como as partes desse pas de six (entrance, variações e coda) foram rearranjadas e coreografadas de outras maneiras em várias versões. Para ler o post e assistir aos vídeos, aqui.