Quarta variação de “Paquita”

Anos e anos atrás, no meu começo no ballet clássico, eu me apaixonei pela quarta variação de Paquita. Assisti várias vezes, praticamente decorei a coreografia, mas ela nunca veio para o blog. O motivo? Eu queria publicar a Aurélie Dupont dançando, mas só a encontrava inserida em outros vídeos.

Dia desses, encontrei um vídeo da tal variação dançada por quatro bailarinas diferentes: Evgenia Obraztsova, Julia Spiridonova, Larissa Lezhnina e Aurélie Dupont. Sim, a mesma versão de uma gravação antiga e ruim, mas que já circula pela internet solitariamente. Mas, dessa vez, eu queria publicar apenas a versão com a Evgenia. Ou seja, eu nunca estou satisfeita.

Sendo assim, vamos assistir a essa variação quatro vezes seguidas? É uma boa maneira de percebermos como cada bailarina tem o seu estilo.

“Quarta variação”, Paquita, Evgenia Obraztsova, Julia Spiridonova, Larissa Lezhnina e Aurélie Dupont.

P.S. A propósito, é mesmo a quarta variação? São tantas as variações em Paquita que eu sempre fico perdida.

Um afago no peito

Quem acompanha o blog há bastante tempo, sabe que não gosto de perna alta e que sou apaixonada pelo ângulo de 90 graus. Já falei sobre esse assunto diversas vezes, por exemplo, em “A tal da perna alta”, “O que está acontecendo com o ballet clássico?”, “Um vídeo antes de dois textos” e “90 graus”. Também já mostrei o meu grande amor em “O arabesque perfeito”.

Por um acaso, dia desses eu assisti a esse vídeo e me desmanchei… Não há uma perna alta, só 90 graus ou um pouquinho mais baixo. Sim, há um movimento ou outro para ser “limpo”, mas aí a Ksenia Zhiganshina ainda era uma estudante, hoje ela é do corpo de baile do Bolshoi.

Várias vezes me disseram: “Você gosta de perna mais baixa porque não consegue ter perna alta”. Talvez, quem sabe? Mas não gosto apenas em mim, gosto nas bailarinas todas. Sei que vou na contramão, mas acho lindo mesmo quando a coreografia nem é tão linda assim.

“Variação de Paquita”, Ksenia Zhiganshina.

Paquita no segundo ato

Está faltando um pouco de ballet clássico neste lugar. Vamos resolver isso?

Esta variação é do grand pas de deux do segundo ato de Paquita, o entrance e o adágio já foram vistos aqui. É linda e delicada, para iluminar até o dia mais cinzento. Sem falar que é dançada por quem? A minha sempre querida Aurélie Dupont.

“Variação de Paquita”, segundo ato, Paquita, Ópera de Paris, Aurélie Dupont.