O novo e o antigo em Paris

Vamos assistir a um grand pas de deux completo de uma maneira diferente?

Pesquisando sobre o ballet Chamas de Paris, eu encontrei esses dois vídeos, de partes diferentes do mesmo grand pas de deux. Amei os dois. Como fazer? Assisti-los um depois do outro.

O entrance é com os dois grandes saltadores do ballet clássico mundial: Natalia Osipova e Ivan Vasiliev em uma montagem do Bolshoi de 2010. É a obra perfeita tanto para ela quanto para ele.

“Entrance”, Chamas de Paris of Paris, Bolshoi Ballet, Natalia Osipova e Ivan Vasiliev.

A variação masculina, a variação feminina e a coda são com Musa Gottlieb e Vakhtang Chaboukiani, em uma montagem feita pelo Bolshoi para a TV em 1953. Temos todo o clima da praça, especialmente por vermos tudo tão de perto!

“Variação masculina, variação feminina e coda”, Chamas de Paris, Bolshoi Ballet, Musa Gottlieb e Vakhtang Chaboukiani, 1953.

Gostei demais de assistir dessa maneira, farei esse exercício mais vezes (e o tratei para cá!).

 

Abertura de “Chamas de Paris”

Com coreografia de Vasily Vainonen, música de Boris Asafyev e libreto inspirado no livro Les Marceliers, de Felix Gras, a estreia de Chamas de Paris aconteceu no Teatro Kirov em 1932. Em 2008, Alexei Ratmansky o reconstruiu para o Bolshoi Ballet.

O ballet conta a história de Philippe, Jeanne e Jerome e o envolvimento deles na Revolução Francesa.

Essa é a cena de abertura, com um pas de deux em seguida. É apenas o começo, mas nos mostra como as coisas vão caminhar.

Para mais informações, em inglês, aqui.
Para assistir ao ballet completo, aqui.

Abertura de Chamas de Paris e primeiro pas de deux, Bolshoi Ballet, Natalia Osipova, Ivan Vasiliev e Denis Savin, 2010.

.

Duas vezes Esmeralda

Talvez, uma das vantagens em começar a dançar mais velha é a memória. Nós nos lembramos de alguns detalhes que provavelmente ficariam esquecidos se fôssemos mais novas.

Como o ballet clássico não era algo presente na minha vida, eu não tinha o costume de assistir ou ler sobre o assunto. Apenas depois de começar as minhas aulas, fui me interessar em pesquisar e o restante vocês já sabem.

Pois eu lembro do primeiro vídeo que assisti depois da minha primeira aula de ballet. Foi a “Variação de Esmeralda”, dançada pela Natalia Osipova aos 17 anos, ainda na escola do Bolshoi. Engraçado, recordo até da sensação de me sentir bailarina pela primeira vez.

E a coincidência? Cinco meses depois, na minha primeira apresentação, dancei uma coreografia com o entrance do grand pas de deux de Esmeralda (aqui até 3’14”).

Impossível não ter um carinho especial por esse ballet.