A bailarina e o astronauta

Eu sou uma bailarina e cheguei aqui sozinha
não pergunte como eu vim
porque já não sei de mim
do meu circo eu fui embora
eu sei que minha família chora
não podia desistir
se um dia como um sonho
ele apareceu pra mim
tão brilhante como um lindo avião
chamuscando fogo e cinza pelo chão.

Tiê, trecho de A bailarina e o astronauta

A música é uma graça e nos enche de delicadeza.

Para aqueles dias em que a vida, e o ballet, insiste em dizer não.

Ciranda da Bailarina

Eu deveria ter feito este post ontem, mas só pensei hoje em contar.

De 2002 a 2004, eu dei aula de teatro para crianças de 7 a 11 anos, era voluntária em uma ONG.

Antes de cada aula, eu sempre fazia aquecimento com os meus pequenos. No começo, colocava uma música e comandava alguns movimentos. Até o dia em que percebi: a grande graça para eles era dançar livremente.

Qual era uma das músicas preferidas das crianças? Ciranda da Bailarina, na versão da (extinta) banda Penélope. Um dia, enquanto dançavam, uma das minhas alunas disse: “Tia, essa música é a sua cara!”.

Eu só comecei a fazer ballet anos depois. Mas criança, como sempre, sabe das coisas de antemão.

“Ciranda da Bailarina”, de Chico Buarque e Edu Lobo, na voz de Adriana Partimpim