Parabéns para a bailarina

Todo ano a história se repete: eu me dou um presente no meu aniversário. Já teve variação, grand pas de deux, pas de deux, musical, repertório e todos eles podem ser vistos aqui.

Estou fazendo 36 anos e demorei para me decidir. Por um lado, Manon, Carmen, Onegin e A dama das camélias são repertórios que se encaixam perfeitamente à minha idade. Por outro,  mesmo gostando muito deles, A Bela Adormecida, Coppélia, La fille mal gardèe e Giselle soam meio infantis. Tudo bem, eu aparento ser mais nova, então abraçarei todos eles sem receio.

Dentre tantas possibilidades, escolhi a “Variação de Manon”. Ela já foi publicada três vezes (1, 2 e 3), além de Manon em A dama das camélias. É evidente, tenho um certo fascínio pela personagem.

Essa variação é linda e sei algumas sequências de cor. Dançá-la um dia nem parece tão distante assim.

“Variação de Manon”, Manon, Royal Ballet, Marianela Nuñez.

Variação de Manon (2)

Para descansar um pouco entre os posts de Natal e ano-novo, uma variação que dá vontade de dançar já…

Variação de Manon, “Manon”, Mathilde Froustey, concurso da Ópera de Paris, 2010.

Sei que os tutus bordados e cheios de brilho são incríveis, mas acho lindo quando os figurinos são simples assim.