Parabéns para a bailarina

Todo ano a história se repete: eu me dou um presente no meu aniversário. Já teve variação, grand pas de deux, pas de deux, musical, repertório e todos eles podem ser vistos aqui.

Estou fazendo 36 anos e demorei para me decidir. Por um lado, Manon, Carmen, Onegin e A dama das camélias são repertórios que se encaixam perfeitamente à minha idade. Por outro,  mesmo gostando muito deles, A Bela Adormecida, Coppélia, La fille mal gardèe e Giselle soam meio infantis. Tudo bem, eu aparento ser mais nova, então abraçarei todos eles sem receio.

Dentre tantas possibilidades, escolhi a “Variação de Manon”. Ela já foi publicada três vezes (1, 2 e 3), além de Manon em A dama das camélias. É evidente, tenho um certo fascínio pela personagem.

Essa variação é linda e sei algumas sequências de cor. Dançá-la um dia nem parece tão distante assim.

“Variação de Manon”, Manon, Royal Ballet, Tamara Rojo, 2008.

Variação de Manon (3)

Gosto tanto dessa variação que a publiquei duas vezes já. Vamos para a terceira? Agora, com a Aurélie Dupont.

O vídeo é amador, ela desaparece do foco algumas vezes, mas vale assistir mesmo assim.

Variação de Manon, “Manon”, Ópera de Paris, Aurélie Dupont.

Quero muito dançar essa variação, mas com este figurino aqui.

Variação de Manon (2)

Para descansar um pouco entre os posts de Natal e ano-novo, uma variação que dá vontade de dançar já…

Variação de Manon, “Manon”, Mathilde Froustey, concurso da Ópera de Paris, 2010.

Sei que os tutus bordados e cheios de brilho são incríveis, mas acho lindo quando os figurinos são simples assim.