Os primeiros passos de um novo ano

Quem não conhece Dom Quixote? No mundo da dança, é mais fácil associarem esse nome a Marius Petipa e Ludwig Minkus do que a Miguel de Cervantes. Os primeiros acordes do desafio ou da variação de Kitri são suficientes para o figurino e a coreografia surgirem na nossa mente.

Porém, Marius Petipa não foi o primeiro a adaptar o romance para a dança. A primeira montagem foi realizada em 1740 pelo coreógrafo austríaco Franz Hilverding. Desde então, acho difícil termos um número exato das diversas montagens e remontagens inspiradas nessa obra realizadas ao longo de tanto tempo. Uma coisa é certa: Dom Quixote faz parte do nosso imaginário.

Sendo assim, o que faz parte do nosso imaginário é difícil enxergá-lo de outra maneira. Pegue a Kitri que você conhece, o nome dela é Aldonza. Esse é o nome daquela que inspirou a personagem Dulcineia na obra literária. Também é o nome da personagem na montagem de Dom Quixote (2016), de Aaron S. Watkin, para o Semperoper Dresden Ballett. Além disso, ele acrescentou músicas de Manuel de Falla às conhecidas de Ludwig Minkus. Eu publiquei um trecho dessa montagem anos antes: a coda do sonho, muito diferente da nossa velha conhecida. Nasceu uma obra nova, mas ainda assim encantadora.

Eu gosto especialmente desta variação e a achei perfeita para a primeira publicação de 2021. Tantas coisas mudaram, mas ainda assim vamos seguir sendo quem somos. Ou melhores do que éramos no passado.

“Segunda Variação de Aldonza”, ato 1, Dom Quixote, Semperoper Dresdren, Svetlana Gileva.

Dicionário de Repertório: música

Vocês lembram o que é libreto? Depois de pronto, ele irá para as mãos do compositor. É chegado o momento da música.

O compositor criará toda a parte musical de acordo com a história. Os ouvidos mais atentos já devem ter percebido que, ao fecharmos os olhos, conseguimos identificar alegria, tensão, tragédia, paixão… A música é a responsável por nos contar os acontecimentos antes mesmo deles serem dançados.

E quem foram os grandes compositores de repertório? Um todo mundo conhece, mas seria injusto citar apenas ele. Sendo assim, aqui está uma pequena lista.

Para conhecer os autores (em inglês), clique nos nomes. Para ouvir trechos dos ballets (aqueles que encontrei apenas a música), clique nos títulos.

E agora, qual o próximo passo? A coreografia.

Fonte dos compositores: bailarinas.kit.net

Para ouvir

Eu tenho o costume de ouvir ballets de repertório. A música realmente faz parte do meu dia a dia, ouço enquanto trabalho ou pesquiso no computador, ouço para prestar atenção no ballet, ouço como trilha sonora quando saio de casa. Acho importante essa familiaridade com a música, ela tem de fazer parte da bailarina. É ela que nos guia. Afinal, sem música, a dança não existe.

Escolhi um trecho que ouvi muitas vezes antes de assistir à coreografia. Ouvia e ficava emocionada demais. Quando finalmente assisti, era completamente diferente do que eu imaginava. Mesmo assim, me emocionei novamente. Talvez por isso eu tenha um carinho especial pelo “Reino das Sombras”, de La Bayadère.

Quem não conhece a coreografia, ouça primeiro. Quem já conhece, ouça atentamente. Deixe-se levar pela música.

Só depois, assista aqui.

*
Quem quiser baixar os ballets completos, acesse o Música de Ballet.