Escrever sobre dança

Você já pensou em ser bailarina profissional? Eu já, mas a vida, o destino ou as circunstâncias não deixaram acontecer. Ou apenas não aconteceu.

Há pessoas que queriam ser profissionais, assim como eu, e buscam trabalhar em dança de alguma maneira. Outras tantas gostam de dança, mas não querem saber do palco, o interesse delas é em outros seguimentos. Há uma terceira turma, aquelas que aposentaram as sapatilhas e agora buscam novos caminhos.

Não importa qual seja o seu caso, a questão é: não precisa dançar para trabalhar em dança.

Ensino, coreografia, ensaio, direção artística, figurino, cenografia, iluminação, fotografia, audiovisual, música, comunicação, pesquisa, crítica, jornalismo. Algumas dessas áreas têm seus desdobramentos, por exemplo, o ensino pode ser em cursos livres, de formação, ensino superior ou em companhias. Tudo depende da sua formação. Além disso, se você nunca foi bailarina ou coreógrafa, dificilmente será diretora artística. Sem conhecimento em artes cênicas, não trabalhará em cenografia ou iluminação. E por aí vai.

O mundo é vasto, apenas é preciso encontrar o seu lugar.

No meu caso, onde eu fui parar? Na escrita. O blog começou com as minhas experiências como bailarina adulta e aos poucos se transformou num lugar de informação e questionamentos.

Quem acompanha dança para além das aulas e das companhias, sabe como é difícil encontrar textos sobre o assunto nos meios de comunicação. A dança é praticamente uma nota de rodapé no jornalismo cultural. Os blogs são cada vez mais raros, eles deram espaço aos perfis das redes sociais. Sabem por quê? Não dá audiência. Você que dança, você que ama dança, lê sobre dança?

Eu leio. Leio porque me interessa, leio porque prefiro os textos, leio porque sem isso eu não escrevo.

O meu objetivo é escrever cada vez mais por aqui. Dá audiência? Cada vez menos. Por outro lado, é preciso escrever sobre dança. Ao dizer isso, eu não estou diminuindo as outras formas de divulgação, apenas reafirmo a importância do texto. As palavras são imprescindíveis na difusão do conhecimento e sempre terão o seu lugar.

Também quer escrever? Vamos começar do princípio: estudando.

Há algumas semanas, eu assisti no #CulturaEmCasa à aula “O jornalismo e a crítica de dança no Brasil” com Katia Calsavara, jornalista, atriz e bailarina. Além de nos contar a sua experiência em dança e jornalismo, ela conversou previamente com vários profissionais que escrevem sobre dança e fez um panorama dessa área no Brasil. Ela abriu uma janela para mim sobre esse assunto. Quem sabe para vocês também.

“O jornalismo e a crítica de dança no Brasil”, Katia Calsavara, Cultura em Casa, 15 maio 2020.