Esmeraldas, rubis e diamantes

É possível ser genial na arte em que parece não haver mais espaço para o novo? Sim. George Balanchine nos ensina como fazer isso em Jewels.

Dividido em três partes, com música de Gabriel Fauré para as Esmeraldas, Igor Stravinsky para os Rubis e Pyotr Ilyich Tchaikovsky para os Diamantes. Cores, figurinos, coreografia, expressividade, cada parte é muitíssimo bem-definida, podem até ser encenadas separadamente. Mas a grandeza está em assisti-las juntas.

George Balanchine e suas joias. Foto: Não encontrei o nome do autor.

Eu falei sobre Jewels aqui, mas ainda não havia assistido ao ballet completo. Os meus olhos marejaram várias vezes, tamanha beleza. Para vocês terem uma ideia, em um dado momento, eu não prestava mais atenção na técnica da coreografia, coisa que qualquer apaixonado por dança faz. Eu estava embevecida com aquilo que via. É realmente uma obra-prima e deveria ser remontada constantemente, para sempre.

Assisti à montagem da Ópera de Paris, de 2005. Lá estava a minha preferida, Aurélie Dupont, em Rubis. Laetitia Pujol estava linda em Esmeraldas e Agnès Letestu estava perfeita em Diamantes.

O meu único porém é em relação ao figurino, nessa montagem, feito por Christian Lacroix. Ele errou a mão nos Diamantes, os tutus estavam imensos, eles se batiam em determinados momentos. Na criação de Balanchine, o tutu das solistas é sino, das demais é curto, condizente com a coreografia. Palco é diferente de passarela, Lacroix! Mas como as Esmeraldas estavam soberbas, vou abstrair esse detalhe.

Fiquei tão encantada que não tenho mais uma joia preferida. Posso dançar o espetáculo completo?

Eu não encontrei um trailer ou vídeo que tivesse trechos das três partes dessa montagem da Ópera de Paris, mas apenas um trecho de Diamantes.

A propósito, a São Paulo Companhia de Dança já remontou Serenade, Tchaikovsky Pas de Deux e Theme and Variations, todos de George Balanchine. Já pensaram em remontar Jewels? Prometo o meu amor eterno para vocês.

*
Para saber mais sobre Jewels, aqui.
Para saber mais sobre cada parte, clique nos nomes: Esmeraldas, Rubis e Diamantes.
Para conhecer The George Balanchine Foundation, aqui.