Dançando no escuro

No meu outro blog, o Carambolas Azuis, eu publiquei sobre o novo filme de Lars von Trier, Melancolia, e citei os dois únicos trabalhos que assisti desse diretor. Um deles é Dançando no escuro, justamente, um musical. Resolvi trazê-lo para cá.

O filme conta a história de Selma, uma mulher do Leste Europeu que se muda para os Estados Unidos com seu filho. Ela trabalha em uma fábrica, tem uma vida bem difícil, e mesmo assim imagina os seus dias como nos filmes de Hollywood. Na fábrica, no caminho de volta para casa, em um julgamento, de repente, a música e a dança começam. Não é algo sem propósito, tudo se encaixa perfeitamente.

A protagonista é ninguém menos que Björk, que também foi responsável pela trilha sonora. Tanto ela quanto o filme ganharam a palma de ouro no Festival de Cannes.

Dançando no escuro é tão lindo quanto triste. Lembro que chorei muito, de soluçar, mas só assistindo para entender. Ele mostra muito bem como a visão que temos do mundo, e da própria vida, realmente depende de cada um.

Aqui estão o trailer e uma das minhas cenas preferidas. Acreditem, até a tristeza do filme vale a pena.