O meu atual objetivo

Há pouco tempo, o Ballerina Project publicou uma série de fotos e vídeos da Isabella Boylston, primeira-bailarina do American Ballet Theatre. Um vídeo bem curtinho, de 20 segundos, mostrava claramente o seu trabalho de pontas, e esse se tornou o meu objetivo do momento.

ballerina-isabella
Isabella Boylston, imagem de vídeo do Ballerina Project.

Tentei de todas as maneiras publicar o vídeo diretamente nesta página, mas não consegui. Sendo assim, para assisti-lo, escolha qualquer um destes links:

Instagram, aqui.
Facebook, aqui.
Twitter, aqui.

Esse se tornou o meu objetivo de bailarina. Quero dançar nas pontas dessa maneira, com essa leveza e segurança.

Ballerina Project

Vocês conhecem o Ballerina Project? Há quem já conheça, mas para quem não conhece, é um projeto realizado por vários artistas, que fotografam bailarinas em centros urbanos. Conceito simples que resulta em imagens incríveis.

Foto: Ballerina Project

Este é o primeiro vídeo do projeto e é bem bonito.

Para quem quiser saber mais e ver fotos lindas, acesse:

Tumblr, aqui.
Facebook, aqui.
Twitter, aqui.
Instagram, aqui.

Bailarina o tempo todo

No filme Fama, na versão de 1980, a professora de ballet diz que “Dança é um estilo de vida”. E é verdade. Do momento em que começamos, levamos a dança para o nosso dia a dia e não apenas na postura ou na musicalidade.

Para mim, me alongar assistindo à televisão é a coisa mais normal do mundo. Exercito os pés em ponta/flex volta e meia. Não posso ficar em uma fila que faço tendu ou meia-ponta sem pensar. Uma vez, no lugar onde eu trabalhava, falaram “Ê bailarina!”, porque eu mantive o tendu derrière enquanto estava em pé, folheando uma revista.

Como já comentei, tenho barra fixa no meu quarto. O alongamento se tornou o momento de pensar na vida. Outros dois grandes companheiros são o tendu e o grand battement. É raro eu passar pela barra e não fazer um ou outro, ou os dois. Também gosto de treinar os braços e as cinco posições dos pés.

Além disso, sou atenta em relação à postura. Sentada, em pé, caminhando, sempre me ajeito quando percebo meu corpo desmanchando aos poucos.

E vocês, o que levaram do ballet para o dia a dia?

Foto: Dane Shitagi, The New York City Ballerina Project.