Documentário: Ballet Now

Em uma manhã chuvosa, estava eu passeando pelo Globoplay antes de começar meus afazeres do dia. Então, me deparei com um documentário sobre dança, de pouco mais de uma hora, que em breve sairá da plataforma. Vou assistir.

O documentário Ballet Now (2018) acompanha Tiler Peck, primeira-bailarina do New York City Ballet, em seu trabalho como curadora da gala BalletNOW, realizada pelo The Music Center, em Los Angeles. Primeira mulher a exercer essa função, ela tem de lidar com as escolhas de repertório e artistas, produção, ensaios e, além disso, dançar.

Trailer do documentário Ballet Now (2018)

Uma série de coisas ficam evidentes ao longo do filme. Tiler tem uma visão ampla de dança, ela pensa no público, em agradá-lo de diversas maneiras, contemplar diversos gostos e visões de dança. Ela tem um profundo respeito por profissionais de outras áreas e de outras modalidades. Além disso, vemos que ser uma bailarina clássica não é sinônimo de dançar bem todas as outras danças. Vocês sabiam disso, certo?

Cena do documentário Ballet Now (2018)

Também acompanhamos as dificuldades em aprender uma obra do zero, com pouco tempo de ensaios. As dores no corpo, os passos que não saem como deveriam, os erros no tempo da música. O trabalho árduo antes do encantamento no palco. A sensação é de que não vai dar tempo.

Na parte final, assistimos a várias passagens da apresentação. Tudo se encaixa, tudo acontece, tudo dá certo. A plateia chega a aplaudir em cena aberta. E eu novamente entendi por que gosto tanto de dança.

No Brasil, Ballet Now (2018) está disponível no Globoplay, mas em breve sairá da plataforma. Corra para assistir, vale muito a pena.

Blogs, sites, podcasts e perfis sobre dança

Eu sou uma apaixonada por informação. Sou comunicadora social, me formei em publicidade e até hoje não entendo por que não estudei jornalismo. Mesmo assim, sou uma profissional do texto e a qualidade da informação faz uma diferença imensa na minha vida e no meu trabalho.

Talvez vocês também sejam assim, gostem de saber mais sobre dança. Por isso, selecionei algumas fontes de informação sobre o assunto. Há outras tantas igualmente boas, mas escolhi estas porque gosto demais de todos esses trabalhos. Citei nominalmente as pessoas envolvidas em sua produção; produzir conteúdo dá muito trabalho e é importante sabermos quem faz tudo isso acontecer.

Quem quiser compartilhar outros blogs, sites, podcasts e perfis de dança, eu adorarei saber.

BLOGS

Isabella Gasparini
Durante a quarentena, a bailarina brasileira Isabella Gasparini resolveu criar um blog. Além de solista do Royal Ballet, ela estuda literatura inglesa e escrita na Open University. Os seus textos nos mostram como é ser bailarina profissional numa perfeita combinação entre a realidade da profissão e o encantamento de dançar em uma das maiores companhias do mundo. Se não bastasse isso, ela escreve muitíssimo bem!
Os textos são em inglês e em português.
Para acessar: pt.isabellagasparini.com

Vídeos de Ballet Clássico
Há mais de dez anos, a pesquisadora de dança Juliana Mel é conhecida por manter o Vídeos de Ballet Clássico, um blog de obras completas de ballet clássico. Para mim, um ponto importante do seu trabalho acaba ficando de lado: grande conhecedora de repertórios, os textos que acompanham as postagens valem a leitura por si só. O perfil no Instagram é um complemento, sempre com informações valiosas.
Os textos são em português.
Para acessar: videosdeballetclassico.blogspot.com

da Quarta Parede
O crítico de dança Henrique Rochelle mantém o da Quarta Parede, um blog onde publica a maior parte dos seus textos. Como ele é um pesquisador de dança e assiste a muitos espetáculos por ano, acompanhar as suas postagens é uma maneira de conhecer e entender sobre o assunto. Mesmo quem não assistiu ao espetáculos, vale a leitura, os seus textos são claros e nos dão uma bela ideia sobre cada obra.
Os textos são em português.
Para acessar: daquartaparede.com

SITE

Portal MUD
Criado por Natália Gresenberg e Talita Bretas, o Portal MUD é um espaço de memória, informação, divulgação e ensino de dança no Brasil. Se não me engano, é o site mais completo sobre dança do país. Um excelente trabalho que vale a pena ser consultado.
Os textos são em português.
Para acessar: portalmud.com.br/portal

Agenda de Dança
Criado pelo bailarino Tarcísio Cunha, o Agenda de Dança é um site de divulgação de eventos e espetáculos de dança no Brasil, além de outras informações sobre o assunto. Completo e atualizado, é para acompanhar sempre.
Os textos são em português.
Para acessar: agendadedanca.com.br

PODCAST

Contos do Balé
O podcast Contos do Balé é inspirado no livro homônimo de Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança. Cada episódio é narrado por ela e por um convidado, e conta a história de um repertório. Voltado para crianças, nada impede que adultos também ouçam e se emocionem, é uma delicadeza para todo mundo.
Os episódios são em português.
Para acessar: open.spotify.com/show/72Q1juiisffMpAb1O3jGZf

Podançá
Produção do Festival de Dança de Joinville, o podcast Podançá traz entrevistas e conversas sobre dança com convidados e convidadas que fizeram parte da história do festival. Os assuntos são sempre pertinentes sobre a dança produzida no país e no exterior.
Os episódios são em português.
Para acessar: open.spotify.com/show/7ET2dI0ZAoVfcJfLhKcxMZ

Conversations on Dance
Produzido e apresentado pelos bailarinos Rebecca King Ferraro e Michael Sean Breeden, o podcast Conversations on Dance traz profissionais de dança, especialmente bailarinos e bailarinas. É mesmo uma conversa entre profissionais da área e entendemos melhor como funciona a dança profissional. Alguns brasileiros já participaram, como a bailarina Carla Körbes e o bailarino Jovani Furlan.
Os episódios são em inglês.
Para acessar: open.spotify.com/show/0audO74OlLuZyY7Nvf5D0F

PERFIS

Marius Petipa Society
A organização The Marius Petipa Society é uma espécie de mantenedora da obra de Marius Petipa. Com uma abordagem acadêmica, o site é a principal fonte de informações sobre suas obras e seu legado, e o perfil no Instagram sempre traz textos curtos, imagens e vídeos de remontagens pelo mundo afora. Indispensável para quem ama repertórios.
As publicações são em inglês.
Para acessar: @mariuspetipasociety

Al.longe
Alícia Cohim é a curadora deste perfil repleto de vídeos raros de dança. Às vezes encontro alguma obra, algum bailarino, alguma bailarina que eu não conhecia; e se conheço, revejo porque sempre vale a pena.
As publicações são em português.
Para acessar: @al.longe

Escrever sobre dança

Você já pensou em ser bailarina profissional? Eu já, mas a vida, o destino ou as circunstâncias não deixaram acontecer. Ou apenas não aconteceu.

Há pessoas que queriam ser profissionais, assim como eu, e buscam trabalhar em dança de alguma maneira. Outras tantas gostam de dança, mas não querem saber do palco, o interesse delas é em outros seguimentos. Há uma terceira turma, aquelas que aposentaram as sapatilhas e agora buscam novos caminhos.

Não importa qual seja o seu caso, a questão é: não precisa dançar para trabalhar em dança.

Ensino, coreografia, ensaio, direção artística, figurino, cenografia, iluminação, fotografia, audiovisual, música, comunicação, pesquisa, crítica, jornalismo. Algumas dessas áreas têm seus desdobramentos, por exemplo, o ensino pode ser em cursos livres, de formação, ensino superior ou em companhias. Tudo depende da sua formação. Além disso, se você nunca foi bailarina ou coreógrafa, dificilmente será diretora artística. Sem conhecimento em artes cênicas, não trabalhará em cenografia ou iluminação. E por aí vai.

O mundo é vasto, apenas é preciso encontrar o seu lugar.

No meu caso, onde eu fui parar? Na escrita. O blog começou com as minhas experiências como bailarina adulta e aos poucos se transformou num lugar de informação e questionamentos.

Quem acompanha dança para além das aulas e das companhias, sabe como é difícil encontrar textos sobre o assunto nos meios de comunicação. A dança é praticamente uma nota de rodapé no jornalismo cultural. Os blogs são cada vez mais raros, eles deram espaço aos perfis das redes sociais. Sabem por quê? Não dá audiência. Você que dança, você que ama dança, lê sobre dança?

Eu leio. Leio porque me interessa, leio porque prefiro os textos, leio porque sem isso eu não escrevo.

O meu objetivo é escrever cada vez mais por aqui. Dá audiência? Cada vez menos. Por outro lado, é preciso escrever sobre dança. Ao dizer isso, eu não estou diminuindo as outras formas de divulgação, apenas reafirmo a importância do texto. As palavras são imprescindíveis na difusão do conhecimento e sempre terão o seu lugar.

Também quer escrever? Vamos começar do princípio: estudando.

Há algumas semanas, eu assisti no #CulturaEmCasa à aula “O jornalismo e a crítica de dança no Brasil” com Katia Calsavara, jornalista, atriz e bailarina. Além de nos contar a sua experiência em dança e jornalismo, ela conversou previamente com vários profissionais que escrevem sobre dança e fez um panorama dessa área no Brasil. Ela abriu uma janela para mim sobre esse assunto. Quem sabe para vocês também.

“O jornalismo e a crítica de dança no Brasil”, Katia Calsavara, Cultura em Casa, 15 maio 2020.