Romeo and Juliet: Beyond Words

Eu li Romeu e Julieta pela primeira vez aos 12 anos de idade, e reli tantas vezes que decorei passagens inteiras. Assisti ao filme dirigido por Franco Zeffirelli mais de uma vez. Assisti no cinema ao filme dirigido por Baz Luhrmann. Na mesma época, o ballet foi transmitido pela televisão, de madrugada. Fiquei acordada para assistir e o que aconteceu? Adormeci no sofá. Estou perdoada, eu era uma adolescente que tinha se apaixonado pelas palavras dessa história. Para mim, faltava alguma coisa na dança.

Só consegui assistir ao ballet com real interesse depois de ter começado a dançar. Confesso, não é uma obra que enche os meus olhos, porque a minha referência é a peça de teatro. Mas, depois de hoje, quem sabe eu mude de ideia.

A Cyndi compartilhou comigo o trailer de Romeo and Juliet: Beyond Words. É a coregrafia de Kenneth MacMillan e a música de Sergei Prokofiev, da montagem realizada pelo Royal Ballet, em uma obra cinematográfica. Sem falas, apenas a dança e os gestos, em locações onde se passa a história. Não, não é igual a essa versão de Giselle, com Carla Fracci no papel principal, feita para a televisão. É outra coisa, eu nunca vi nada parecido. Quer entender melhor? Assista ao trailer.

Trailer “Romeo and Juliet: Beyond Words”, Michael Nunn e William Trevitt, 2019.

William Bracewell e Francesca Hayward fazem os papéis principais. Quem quiser saber mais, acesse o site, o YouTube e o Instagram.

Eu contarei os dias para assistir.

Francesca Hayward na edição especial da Vogue UK

A edição de setembro da revista Vogue UK, a mais importante do ano, teve uma coeditora especial: Meghan Markle, também conhecida como Sua Alteza Real Duquesa de Sussex. Para a capa, ela fez questão de escolher não uma, mas 15 mulheres que estão fazendo diferença no mundo. Uma delas é Francesca Hayward, primeira-bailarina do Royal Ballet.

Francesca Hayward, Vogue UK, setembro 2019. Foto: Peter Lindbergh.

Nascida em Nairóbi, no Quênia, o seu pai é inglês e a sua mãe é queniana. Aos dois anos, ela se mudou para a Inglaterra e pouco depois começou suas aulas de dança em uma escola da cidade. Ingressou no Royal Ballet School aos 11 anos, dali entrou na companhia e passou por todos os níveis da hierarquia até chegar a primeira-bailarina aos 24 anos.

Na matéria da edição especial, Francesca disse:

Eu tenho muito orgulho da cor da minha pele e que eu esteja inspirando pessoas de todas as origens. Mas eu acho que será ótimo para a próxima primeira-bailarina mestiça ou negra se ela não tiver de ser perguntada sobre isso. No ballet, não importa quem você é. Se você é boa, isso é algo raro, tão incomum, que o talento irá para onde você quiser ir.”

no vídeo de divulgação da edição, suas palavras foram:

Eu diria que minha força para mudança seria todas as crianças que escrevem para mim e me dizem que elas estão inspiradas para dançar e têm uma grande paixão por isso, e eu quero mostrar a elas que dança é para todos. Não importa quanto dinheiro você tem ou de onde você vem ou de qual raça você é.”

O tema da capa é “Forces for Change” ou “Forças para mudança”. Alguém duvida que a Francesca está fazendo justamente isso?

*

Para ler a matéria completa, em inglês, aqui.
Para assistir ao vídeo, em inglês, aqui.

Old Men Grooving

Imaginem um grupo de dança formado por homens entre 40 e 60 anos, de profissões diversas e todos eles fora do padrão. Imaginaram? Pois existe, é o Old Men Grooving.

Em 2015, Patrick Alan, Fred Folkes, Bret Jones, Phil Stanley e David Welch se apresentaram nas audições do programa Britain’s Got Talent. Prestem atenção no olhar de desdém dos jurados e da plateia, que se desfaz tão logo eles começam a dançar.

Old Men Grooving, audition, Britain’s Got Talent, 2015.

O sucesso foi tão grande que eles avançaram na competição, chegando à final. Não venceram, mas conquistaram meio mundo. De todas as apresentações deles, a minha preferida foi esta coreografia, a da semifinal.(Quem quiser assistir à apresentação da final, aqui.)

Old Men Grooving, semi-final 2, Britain’s Got Talent, 2015.

O que aconteceu com o grupo? Continua firme e forte. Assisti a alguns vídeos mais recentes e eles estão dançando ainda melhor. O que mais me encanta é: como eles se divertem dançando! Quem sabe seja isso que precisamos de vez em quando.