Reverbere: vozes femininas

“Quanto da cultura que você consome é produzida, idealizada ou apresentada por mulheres?”

O projeto “Reverbere: vozes femininas” foi realizado em 2020 e conta com oito vídeos de oito mulheres integrantes dos corpos artísticos e da administração do Theatro Municipal de São Paulo, além de um vídeo com duas profissionais da ópera p r i s m. A ideia é mostrar a experiência dessas mulheres, e como é ser mulher, no mundo das artes.

Imagine ser mulher, 9 mar. 2020

Voltando à pergunta do início, em algum momento, vocês pararam para pensar nisso? Não vale dizer que “a dança é a arte das mulheres” porque não é verdade. Conforme a hierarquia vai subindo, as mulheres vão sumindo e, então, os homens assumem. Infelizmente, essa não é apenas a realidade da dança, mas das artes em geral.

Dos nove vídeos produzidos, eu escolhi para publicar no blog, é claro!, a bailarina.

“Quando a gente fala,
‘Ah, o que você faz?’,
‘Sou bailarina’,
‘Ah, bailarina, mas o que você faz? Só dança? Seu trabalho é dançar?’,
‘Sim, meu trabalho é dançar, meu trabalho é passar a arte pras pessoas e que elas absorvam isso, que elas levem alguma coisa pra elas. Isso é meu trabalho’.”

Carolina Martinelli, bailarina do Balé da Cidade de São Paulo

Reverbere: vozes femininas | Carolina Martinelli, bailarina do Balé da Cidade de São Paulo, 7 jul. 2020

Quem quiser ver os demais vídeos, aqui está a lista completa. Para assistir, basta clicar no nome:

Camila Barrientos, clarinetista da Orquestra Sinfônica Municipal
Carolina Martinelli, bailarina do Balé da Cidade de São Paulo
Milly Pasqualini, gerente da Musicoteca
Betina Stegmann, 1° violino do Quarteto de Cordas de São Paulo
Fernanda Ramos, orientadora de público
Maíra Ferreira, Regente Titular (interinamente) do Coral Paulistano
Suelem Sampaio, harpista da Orquestra Experimental de Repertório
Zuzu Belmonte, mezzo soprano do Coro Lírico
Ellen Reid e Roxie Perkins, da ópera ‘p r i s m’

Além do vídeo da Carolina Martinelli, assistam aos outros vídeos. É muito importante, não apenas para conhecer o trabalho dessas mulheres, mas para se informar a respeito dessa realidade, das mulheres nas artes. Este post é apenas uma semente sobre o assunto. Falarei sobre isso mais e mais vezes, podem esperar.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s