Os três pas de deux de “A dama das camélias”

A dama das camélias (1978), de John Neumeier, foi inspirado no romance homônimo de Alexandre Dumas Filho, de 1848. No ballet, a história de amor entre o jovem aristocrata Armand Duval e a cortesã Marguerite Gautier tem três momentos-chave: três pas de deux, um em cada ato, um de cada cor.

Não entrarei nos pormenores da história, mas não é necessário conhecê-la para se encantar por cada um desses momentos. Eu sou uma fã da peça de teatro, escrita pelo próprio Alexandre Dumas Filho em 1852, mas a obra de John Neumeier é igualmente grandiosa.

Aqui estão os três pas de deux, todos da montagem do Royal Danish Ballet, de 2014, com a bailarina Gudrun Bojesen e o bailarino Ulrik Birkkjaer. Qual é o meu preferido? Como eu contei aqui, o terceiro. É amor para todo o sempre.

Purple Pas de Deux (pas de deux roxo), ato I

White Pas de Deux (pas de deux branco), ato II

Black Pas de Deux (pas de deux negro), ato III

*

Para ler os outros posts publicados sobre A dama das camélias (1978), aqui.

Os comentários refletem a opinião das leitoras e dos leitores e não correspondem, necessariamente, à opinião da editora do blog.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s